Campanha Novembro Azul

De todos os tipos de câncer, o câncer de próstata é o mais frequente (36,9%) entre os homens com 18 anos ou mais que descobriram no primeiro diagnóstico, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde 2013 – PNS , divulgada pelo IBGE. Dados do Ministério da Saúde mostram que 14.454 homens morreram dessa doença no Brasil em 2015.

novembro azul

Para mudar essa realidade, a campanha Blue November foi criada na Austrália em 2003 e recentemente adotada em vários países. No Brasil, a campanha é apoiada pelo Instituto Nacional do Câncer – Inca , que lançou o Câncer de Próstata: vamos conversar sobre isso? folheto este ano, visando melhorar a visibilidade desta doença no Dia Nacional de Luta contra o Câncer (27 de novembro).

Em 2016, o Inca estimou cerca de 61.200 novos casos de câncer de próstata. Mesmo tendo 3.240 casos a mais do que o estimado para o câncer de mama (57.960) no mesmo período, a campanha de Novembro Azul ainda não é tão visível quanto a de Outubro Rosa, que previne o câncer de mama.

A fim de prevenir o câncer de próstata, o livreto recomenda comer alimentos saudáveis, não fumar e praticar atividades físicas. Ele também aponta que o risco de desenvolver câncer de próstata aumenta em pessoas com excesso de peso, pessoas com histórico de câncer na família e em pessoas idosas. Dos 408 mil casos da doença, 56,2% estavam entre os homens com idade entre 65 e 74 anos, segundo a PNS 2013.

Apenas 25% dos homens com mais de 50 anos foram submetidos a um exame retal.

novembro azul

O câncer de próstata pode ser detectado através de dois exames: antígeno prostático específico – PSA e exame retal. O primeiro é um exame de sangue que detecta o nível dessa proteína. Sempre alto, isso pode indicar câncer ou doenças benignas da próstata. O segundo exame é feito pelo médico, que avalia o tamanho, forma e textura da próstata. 

O preconceito e a falta de informação de vários homens em relação ao exame retal comprometem a prevenção e aumentam as taxas de mortalidade dessa doença. Como exemplo, a PNS 2013 mostrou que cerca de 5,7 milhões de homens com 50 anos ou mais foram submetidos a um exame físico ou retal até 12 meses antes da pesquisa, o que equivale a 25% dos homens nessa idade. Fonte: IBGE